Laboratório

Desvendando o Hemograma Completo: Leucócitos

O que são Leucócitos?

Os leucócitos são células de proteção do nosso organismo contra agentes externos, tanto microrganismos que podem provocar infecções, quanto substancias que provocam alergias.

Essas células de proteção são os glóbulos brancos do sangue e são divididos em 5 categorias: eosinófilos, basófilos, neutrófilos, linfócitos e monócitos. Cada um desempenha um papel diferente no sistema imune. O aumento dos leucócitos pode ser acompanhado da predominância de algum desses subtipos.

A avaliação do número de leucócitos é útil para identificar a presença de processos inflamatórios ou infecciosos no organismo, avaliar a necessidade de se fazer uma biópsia de medula óssea ou a resposta ao tratamento com quimioterapia, radioterapia ou outras formas de terapia.

LEUCOGRAMA

É a parte do hemograma que inclui a avaliação glóbulos brancos. Compreende as contagens global e diferencial dos leucócitos, além da avaliação morfológica do esfregaço sanguíneo ao microscópio.

Este exame está indicado no diagnóstico e acompanhamento dos processos infecciosos, inflamatórios, alérgicos, tóxicos e neoplásticos.

Os valores de referencia para leucócitos totais e para os diferentes tipos leucocitários variam com a idade. Crianças costumam apresentar contagens globais mais altas, com porcentagens relativas de linfócitos superiores às dos adultos, diferença esta que tende a desaparecer após a puberdade.

A contagem relativa dos leucócitos é de uso corrente na prática clínica, mas pode não traduzir uma real alteração; esta deve ser comprovada pela contagem absoluta, a qual considera o numero global dos leucócitos.

Os glóbulos brancos podem ser classificados em:

  • Granulócitos: neutrófilos (segmentados), eosinófilos e basófilos. Os neutrófilos jovens são formas não segmentadas (bastonetes, metamielócitos, mielócitos e pró-mielócitos)
  • Não granulócitos: linfócitos e monócitos.

Cada um dos tipos de leucócitos está envolvido com uma função particular:

  • Desvio à esquerda corresponde ao aparecimento, no sangue periférico, de precursores granulocíticos, que normalmente se localizam na medula óssea. Estes precursores incluem os bastonetes, os mielócitos e os metamielócitos.
  • O desvio à esquerda ocorre em resposta aos processos infecciosos bacterianos ou na leucemia mielóide crônica nos primeiros existe um desvio escalonado por todos os precursores.

As leucocitoses reacionais intensas são chamadas de reações leucemóides e devem ser diferenciadas principalmente da leucemia mielóide crônica. Nesta, o desvio à esquerda é não escalonado, com aumento de mielócitos e presença de poucos blastos. São comuns os aumentos no número de eosinófilos e de basófilos. A pesquisa de fosfatase alcalina nos neutrófilos pode ajudar nos casos mais difíceis. Ausência de atividade da fosfatase alcalina neutrofílica sugere a origem leucêmica dos neutrófilos.

Em raras ocasiões verifica-se a presença de neutrófilos jovens não escalonados e eritroblastos no sangue periférico, caracterizando a reação leuco-eritroblástica. Esta reação, que deve ser diferenciada dos quadros reacionais, sugere a presença de infiltração de medula óssea por metástases, por exemplo, permitindo o escape de células medulares.

Nível de leucócitos alto pode indicar uma infecção grave?

O nível de leucócitos alto no sangue ou leucocitose pode ser indicativo de infecção, mas não necessariamente. O aumento do nível de leucócitos no sangue pode indicar a presença de um organismo ou substancia estranha que precisa ser combatido e eliminado do corpo para não causar complicações.

Este aumento pode estar também presente em algumas situações temporárias de estresse, como após exercícios físicos intensos, infarto, gangrena, queimaduras, pós-operatório, uso de medicações (lítio, corticoides, epinefrina), tabagismo, gestação, recém-nascido nos primeiros dias após o parto, além de situações crônicas, como alergias, artrite reumatoide, rinite, leucemia, parasitoses intestinais, Doença de Crohn, entre outras.

Os leucócitos atuam na resposta do organismo a agentes causadores de doenças, bem como a situações de estresse ou esforço físico intenso. Quando os níveis de leucócitos estão altos, com valores acima de 11.500 por milímetro cubico de sangue, é um quadro denominado de leucocitose. As causas desse aumento variam conforme as características da leucocitose e o tipo de leucócito que está alto.

Quando o aumento do numero de leucócitos ocorre devido a uma situação de estresse para o organismo, como atividade física intensa, gravidez ou uso de anestesia, a leucocitose é fisiológica.

As infecções bacterianas, os processos inflamatórios e a gravidez causam as chamadas leucocitoses reativas. Doenças como leucemia e linfoma provocam um tipo de leucocitose denominada patológica.

Gostou deste post? Achou difícil?

No próximo blog post sobre Hemograma Completo vamos finalizar este tema discutindo as principais doenças do sangue e também, alguns mitos e verdades sobre o Hemograma Completo.

Fonte:

http://faculdademedicina.ufpa.br/doc/Hemograma.pdf

https://medicoresponde.com.br/nivel-de-leucocitos-alto-pode-indicar-uma-infeccao-grave/

Post Relacionados

Sobre o autor

Felipe Tostes

Deixar comentário.

Share This