Muitas mulheres em idade fértil, provavelmente, já tiveram que lidar com um mioma. Isso porque, segundo a Sociedade Portuguesa de Ginecologia (SPG), estima-se que a incidência de mioma — também conhecido como fibroma ou leiomioma uterino — atinge aproximadamente 80% das mulheres, tendo prevalência de até 40% na fase reprodutiva. Mas, afinal, você sabe o que é mioma?

Dada a prevalência desse problema, toda mulher precisa saber o que é um mioma e conhecer os sintomas mais comuns, a fim de identificar a condição e procurar o tratamento mais adequado.

Por isso, neste artigo vamos abordar essas informações, para que você saiba como agir diante de um possível diagnóstico de mioma. Continue lendo e confira!

O que é mioma?

É um tumor benigno que se desenvolve a partir do tecido muscular liso do útero. Dessa forma, uma única célula se divide de maneira desenfreada e repetidamente, até se configurar em uma massa sólida e distinta dos outros tecidos.

Os padrões de crescimento do mioma variam, podendo permanecer estável por anos, desenvolvendo-se de forma lenta, ou aumentar de tamanho rapidamente em poucos meses.

Geralmente, o mioma não tem vínculo direto com o risco de câncer, mas as mulheres que o apresentam bem desenvolvido precisam ser monitoradas.

Quais os sintomas mais comuns?

O mioma pode provocar diversos sintomas, que variam conforme a sua localização no útero, quantidade e tamanho. Mas, em geral, os primeiros sinais que devem ser levados em consideração são o aumento de cólicas abdominais e os sangramentos fora do período menstrual.

Além desses, outros desconfortos podem aparecer à medida que o mioma se desenvolve, tais como:

  • aumento da duração do período menstrual;
  • sensação de pressão na barriga;
  • prisão de ventre;
  • aumento da vontade de urinar;
  • infecção do trato urinário;
  • dificuldade para engravidar.

Contudo, na maioria dos casos, o mioma pode não apresentar sintomas, fazendo com que a mulher nem desconfie que o tenha.

Como é feito o diagnóstico?

O diagnóstico do mioma é feito por um médico ginecologista, que se informará sobre o histórico da paciente e realizará um exame físico. Para isso, ele pode palpar o abdome para sentir o contorno do útero e observar a região da vagina.

Além disso, para confirmar o diagnóstico, o médico pode solicitar alguns exames de imagem, como:

Ultrassonografia transvaginal

É um exame simples e indolor utilizado para avaliar e identificar possíveis doenças que podem afetar o órgão reprodutor feminino. No caso de suspeita de mioma, esse procedimento é utilizado para localizar os nódulos, quantificar o número e o tamanho. Também é possível visualizar o endométrio e os ovários, a fim de afastar possíveis doenças que possam surgir no mesmo período do mioma.

Histeroscopia

Esse tipo de exame permite visualizar o interior do útero pela inserção de uma sonda que contém uma espécie de câmera. Assim, o médico ginecologista pode diagnosticar o mioma submucoso, além de outras patologias intrauterinas.

Ressonância magnética

Na ressonância magnética, além de obter informações sobre o volume do mioma e sua localização, também é possível realizar uma vascularização e a caracterização tecidual, podendo-se observar o efeito dele sobre outras estruturas pélvicas, como bexiga, intestino e ovários.

Assim, com o diagnóstico correto, o médico ginecologista poderá indicar o tratamento mais adequado, seja com remédios hormonais para reduzir o tamanho do mioma, seja por meio de um procedimento cirúrgico.

Por isso, é importante que a mulher conheça o seu corpo e fique atenta a qualquer possível alteração que possa surgir, além de realizar um check-up com o seu médico de confiança.

Agora, que você já sabe o que é mioma, que tal manter-se informada sobre outros assuntos? Então, curta a nossa página no Facebook e fique por dentro das principais novidades!

Post Relacionados

Deixar comentário.

Share This