Laboratório

Entenda a importância do exame toxicológico para motoristas

Escrito por Paula Tostes

Diante da violência no trânsito no Brasil, algumas mudanças na legislação se fizeram necessárias para atenuar o problema. Uma delas é a obrigatoriedade do exame toxicologico para obtenção e renovação de algumas categorias da Carteira Nacional de Habilitação — CNH.

Neste artigo, vamos falar sobre esse exame: como é feito, quando é obrigatório e onde pode ser realizado. Então, acompanhe até o fim e boa leitura!

O que é o exame toxicologico e qual a sua importância?

O exame toxicológico é uma série de análises realizadas em diferentes tipos de materiais com o intuito de detectar o uso de substâncias tóxicas ou ilícitas por uma pessoa há um determinado período. Dependendo do método utilizado, é possível verificar o uso dessas substâncias há até 180 dias.

Entre as substâncias proibidas estão algumas drogas, como a maconha, a cocaína e o ecstasy, e alguns remédios utilizados para manter o motorista acordado por mais tempo, muito conhecidos como rebites.

A realização periódica do exame ajuda a inibir o uso dessas substâncias por motoristas de caminhão, ônibus e escolares, e consequentemente evita uma série de situações perigosas que podem causar acidentes graves, inclusive com morte.

Como esse exame é feito?

O exame toxicológico pode ser feito de 3 formas distintas: pela saliva ou fluidos orais, pela urina ou pela queratina. Vamos explicar como cada método funciona.

Saliva

O exame toxicológico feito por meio da análise da saliva ou fluidos orais em geral é a forma mais simples de detectar substâncias proibidas. Porém, esse método só consegue indicar o consumo nas últimas 24 horas. Por isso, ele não é utilizado para a obtenção e renovação da CNH.

Urina

O exame de urina consegue identificar a presença de substâncias tóxicas ou ilícitas há mais tempo no organismo. No entanto, ele requer um prazo de 2 a 7 dias da data do consumo para ter sua efetividade garantida. Isso acontece porque a substância a ser encontrada precisa passar pelo fígado para, então, ser detectada na urina.

Queratina

Por fim, há o método de análise utilizando amostras de queratina, que pode ser coletada dos cabelos, pelos ou unhas do indivíduo, e é o recomendado pelo Conselho Nacional de Trânsito — CONTRAN. Trata-se de um exame mais completo, que indica não só o uso das substâncias, como também a quantidade utilizada em um período de 90 a 180 dias.

Quando ele é obrigatório?

Esse exame pode ser realizado por qualquer pessoa, mas em alguns casos ele é obrigatório. Desde 2016, o CONTRAN estabeleceu, por meio da resolução 583a obrigatoriedade do exame toxicológico para a obtenção e renovação de CNH nas categorias C, D e E, que são referentes aos transportes de cargas e de passageiros.

Em 2018, a resolução 724 do mesmo órgão determinou que apenas os exames realizados pela análise da queratina sejam aceitos. Dessa forma, a legislação se tornou mais rigorosa, com o objetivo de proporcionar mais segurança no trânsito.

Onde fazer o exame toxicológico?

O exame toxicológico pode ser realizado em clínicas de exames laboratoriais, como a Paula Tostes. Aqui a coleta é feita de forma muito simples e indolor: uma pequena mecha de cabelo é retirada e enviada para análise. Não é preciso realizar nenhum tipo de procedimento de preparação nos dias anteriores.

As análises são realizadas em poucos dias e o resultado é disponibilizado diretamente no Registro Nacional de Carteira de Habilitação — RENACH — para que você possa dar prosseguimento ao processo junto ao DETRAN.

Como vimos, o exame toxicológico é extremamente importante para garantir a segurança dos motoristas e de todos os envolvidos com o trânsito de veículos em geral. Por isso, não deixe de fazer o seu e mantenha a sua saúde em dia.

Se você gostou deste conteúdo ou tem dúvidas sobre o exame, deixe seu comentário abaixo!

Post Relacionados

Deixar comentário.

Share This